Arquivo do mês: dezembro 2010

Canto o Irmão Asno do Presépio

Burrico ingênuo, paciente, amigo, Ofensa alguma levas a mal, Eu te saúdo porque contigo, Num miserável e tosco abrigo, Cantaram anjos pelo Natal. Bem imagino toda a ternura De tua longa contemplação Ao ver deitado na palha dura O Santo … Continuar lendo

Publicado em Poesia | Marcado com , | Deixe um comentário

Galileu, o peru ateu

Mais um Natal se aproxima e a preocupação na fazenda aumenta. Pelo menos a preocupação dos bichos com o Galileu, o peru ateu da Fazenda Gira Mundo. Todo ano é a mesma coisa. Na verdade, todo feriado é a mesma … Continuar lendo

Publicado em Crônica | Marcado com , , , | 2 Comentários

O Estábulo – 4ª semana do Advento ou Noite de Natal

Tudo aconteceu antes da primeira Noite de Natal, que como vocês sabem, foi há muito tempo atrás. Aconteceu com Benjamim, um menino que morava com seu pai numa hospedaria situada nas redondezas da pequena cidade de Belém, ao lado da … Continuar lendo

Publicado em Crônica | Marcado com , | Deixe um comentário

As personagens do presépio (Dom Marcos Barbosa)

Ao cumprir o edital e a profecia, Deixei minha oficina em Nazaré; Não encontro lugar na hospedaria, Venho ver esta gruta como é… Vou abrigá-la aqui, pobre Maria. Já sabeis quem eu sou. Eu sou JOSÉ. Tem direito à comida … Continuar lendo

Publicado em Poesia | Marcado com , | 1 Comentário

O Diário de um Brasileiro nos EUA

12 Agosto Hoje me mudei para minha nova casa no estado da Pennsylvania. Que paz! Tudo aqui é tão bonito. As montanhas são tão majestosas. Quase que não posso esperar para vê-las cobertas de eve. Que bom haver deixado para … Continuar lendo

Publicado em Crônica | Marcado com , , | Deixe um comentário

Veste-se a Terra de Azul

  VESTE-SE A TERRA DE AZUL Maria Isabel (Ferreira), terceira carmelita Veste-se a terra de azul enxuga o pranto da espera foi encontrado um Menino nos braços da Primavera Maria rosa orvalhada nuvenzinha aparecida deixaste chover o Justo sobre o … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Resolução de conflitos

O trem atravessava sacolejando os subúrbios de Tóquio numa tarde de primavera. Nosso vagão estava comparativamente vazio: apenas algumas donas de casa com seus filhos e uns velhos indo fazer compras. Eu olhava distraído pela janela a monotonia das casas … Continuar lendo

Publicado em Crônica | 1 Comentário