Arquivo do autor:Alexandre Core

A Votação

  – Pela ordem, Senhor Presidente! Pela ordem! – bradou o Azambuja – a coruja – na tentativa de apaziguar os ânimos dos bichos na reunião da fazenda. – Já estamos aqui há mais de 8 horas e nem sinal … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

NÃO VAI TER GOLFE!

Tarde do último sábado e alguns manifestantes – cinco – concentravam-se em frente à  porteira da fazenda Milho Milhó do cumpadre Apolinário Mendonça. Entre eles a Zuleica, uma saíra azul (está mais pra vermelha), conhecida agitadora da região. Acompanhavam o … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | 1 Comentário

Rodyneison: O Urubu Suspeito

Quando o Delegado Jorjão chegou na clareira aberta na mata, a confusão já estava formada. De um lado, os cães policiais que fizeram a captura do suspeito de furtar a Dona Hermengarda – uma capivara que roía as unhas de … Continuar lendo

Publicado em Crônica | Marcado com , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Caramuru

Todos conhecem a história de Diogo Álvares Correia – o Caramuru –,  mas o que poucos sabem realmente é de onde veio a fama do português. Diogo ficou conhecido por um suposto tiro de arma de fogo que assustou os índios e … Continuar lendo

Publicado em Crônica | Marcado com , , | 2 Comentários

O Bem-te-vi Otimista

Calor infernal, nenhuma nuvem no céu azul e um bendito bem-te-vi vem pousar ali, pertinho, na antena parabólica do meu vizinho. E fica lá, olhando o céu com um ar professoral, doutor em meteorologia, cantando notas com vigor: bem-te-vi, te-vi, … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Marcado com , , , | 1 Comentário

Abigail e Mustafá

Abigail é uma moça que mora no casarão no número 10 da Rua Aristides Bueno, uma rua lateral à praça principal (e única) do centro de São João do Quentão.  Com ela moram a mãe, Dona Regina Célia, e um … Continuar lendo

Publicado em Crônica | Marcado com , , , , , , , | Deixe um comentário

O rato da cidade e o do campo

Um rato que morava na cidade, foi passear no campo. Recebeu-o e agasalhou-o um amigo que o levou para os seus palácios subterrâneos, e deu-lhe um banquete de ervas e raízes. Maldizendo em presença de tais iguarias a louca lembrança do … Continuar lendo

Publicado em Burrosofia | Marcado com , , , | Deixe um comentário